sábado, outubro 31, 2009

nada mais a declarar: reconhecimentos.

"-Que espécie de gente vive por aqui? (perguntou Alice)
-Naquela direção (disse o Gato, apontando com a pata direita) mora um Chapeleiro. E naquela (acrescentou, levantando a outra pata) mora a Lebre de Março. Visite um ou o outro, tanto faz: ambos são loucos.
-Mas eu não quero me encontrar com gente louca. (observou Alice)
-Você não pode evitar isso. (replicou o Gato) Todos nós aqui somos loucos. Eu sou louco. Você é louca.
-Como sabe que eu sou louca? (indagou Alice)
-Deve ser (disse o Gato) ou não teria vindo por aqui." (1980: 82-83)



2 comentários:

Clara disse...

Ain...É lindo esse pedaço do livro, até parece que o sábio gato vive nos dias de hoje, sempre com sua inteligência fenomenal!Adoraria viver no mundo de Alice, onde os loucos se declaram loucos, sem proferirem discursos hipócritas!

beijos, minha flor!

AMARela Cavalcanti disse...

sábio animal... pense num bicho que sabe das coisas!

saudades de alguns "exemplares" da espécie.

beijos felinos, amora minha!!!