segunda-feira, janeiro 04, 2010

casulo novo

depois de longa ausência, em que tecia de baba novos fios de morada, que mais parece esconderijo interiorano, magicamente a alguns passos da dita civilização, que a cada dia mais me parece uma algazarra de superpopulação e agonias de toda ordem, volta-me a conexão ao mundo virtual: ponte entre o semi-rural em que me abrigo agora e a vida high-tech. e volto para dizer de mim, da lesma que me passeou no terceiro dia de moradia pela sala (eca, a natureza também tem formas asquerosas) e do sapo cururu imenso que visitou meu terraço hoje, após o charco da chuva grossa de verão invernal (outra criaturinha bem nojentinha e feiosa, diga-se de passagem, embora sirva para comer mosquitos e dar atestado de o quão bucólico é meu novo lar).

Um comentário:

Clara disse...

Flor, desejo toda a melhor energia pra esse novo habitat da lagarta, que ele continue, sempre, trazendo bons frutos para os seres habitantes dele!

xêros, minha flor!

ressalva:morei míseros 7 dias numa casinha que nem tv tinha, pequeninissíma, num lugar quase deserto, onde o carro era objeto de decoraçaõ na garagem!São nesses momentos que eu percebo quanta raiva eu tenho de morar no meio dessa civilização louca!!=//