sexta-feira, setembro 07, 2007

teoria da irrelatividade

eu queria sintetizar uns momentos em que as palavras escapam. qual a melhor forma de os traduzir? e deixo uma diarréia verbal me escapar, feito arroto tosco, que carrega em si milênios de humanidade. eu hoje estive anestesiada, após os músculos do corpo serem untados com suave óleo de olor idem, todos os membros, apesar de eu estar deitada de ventre para cima, estavam invertidos. apenas a cabeça, como se virada ao avesso completo. uma espécie de curupira, só que ao invés de serem os pés ao contrário, era a cabeça. e o chão afundava, embora eu não fosse junto.
eu queria traduzir a impossível relativização de certos valores.
afinal, existirá caráter relativo? ou, mais contundentemente formulado: falta de caráter relativa? alguém tem meia honestidade? meio caráter? meia ética????????

e isso seria só o começo...

Um comentário:

Manuel Barral disse...

uma demanda interessante. :)