domingo, julho 11, 2010

ovo a la coq





as vezes tenho muita raiva de não me entender em certas situações, eu queria ser mais plano terreno, sem acidentes geográficos de genealogia, sem tanta óbvia interferência de quem se questiona. e, como allen, o woody, eu queria sonoramente admitir e internalizar: whatever works...
e todo meu otimismo seria suficiente para a consciência de tudo que é péssimo não me tomar de assalto como susto que dá soluço por dias seguidos, ou como um cílio que cai no olho e fica escondido no buraco negro do espaço em que habita o globo ocular por uma semana...
como quem aprecia de verdade nem esperar que a gema do ovo cozinhe até ficar consiste e, até, prefere apreciar a gema líquida, ou ainda mais, o ovo a la coq.

2 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Sou meio Woody Allen, e isso não entendo como auto-elogio.

lagarta disse...

sou honrada em tê-lo aqui, pelo meu casulo, senhor herculano!
é, eu também entenderia, na maioria das situações, meu lado woody allen não como elogio, mas até isso, às vezes, pode se inverter...
mas o post me trouxe a ti, te trouxe a mim, nos pôs em conexão...
que bom!